Vereadores encontram focos de lixo em Capim Grosso

Em uma fiscalização feita pelos Vereadores , Vanderlei Queiroz, Arivelton Mota e Samoel Moto Taxi, foram encontradas vários focos de lixo, em Capim Grosso. Na Rua Caiçara no Bairro Jardim Araújo, as margens da “lagoa”, foram identificados uma quantidade imensa de resíduos sólidos que prejudicam o meio ambiente e descaracteriza a beleza peculiar de um local urbanizado. Os edis seguiram para as imediações do clube AACC, onde encontraram mais lixo. No Bairro Novo Oeste, próximo a antiga quadra, um tonel esta sendo insuficiente para suprir a demanda do local, e os moradores jogam o material pelo chão após o enchimento do vasilhame. No mesmo logradouro um terreno esta recebendo uma grande quantidade de sacolas plásticas, que apesar de práticas, prejudicam o meio ambiente em virtude dos metais pesados que contém no plástico e chegam a durar cem anos para se decompor na natureza, o local esta se transformando em um verdadeiro lixo, segundo os moradores. Os legisladores pedem medidas urgente de combate a limpeza pública. Os pares se dirigiram ao “lixão” da cidade e novamente o cenário encontrado é de agressão a natureza, pois o vento espalha as sacolas plásticas por toda a redondeza deixando terrenos sujos e fragilizados, além de uma paisagem feia.
 
 

II Feira de Cultura foi iniciada nessa sexta-feira, dia 30

Teve inicio na noite desta sexta-feira (30), a II Feira Cultural realizada no município de Capim Grosso. Este evento que é realizado através do Calendário das Artes, visa estimular e desenvolver o crescimento cultural contemplando as mais diversas ideias de artistas, grupos e produtores, amadores ou profissionais e conta com diversas amostras de diferentes pontos de arte e cultura presentes em nosso município e região.
 
Para a abertura da noite, se apresentaram no stand da Aec-Tea, grupos de sambadores de Capim Grosso e o Grupo União de Serrolândia, tocando piega. Em outros stands, os presentes puderam conferir uma grande variedade de amostras de artesanatos e comidas típicas.
 
 
No palco, a alegria da noite ficou por conta do Sanfoneiro Kelvin Diniz, que tocou por cerca de 1h e 30min, canções como “tatuagem”, “se tu quiser” e “eu quero meu amor”, trazendo para o evento, a presença do verdadeiro som nordestino.
 
A Feira continuará se estendendo durante esse sábado (31) e durante todo o domingo (01), com oficinas de dança, música, vídeo, fotografia, teatro e etc.
 
Texto e Fotos: FR Notícias
 

II Feira Cultural

 Durante os dias 30, 31 e 01, estará acontecendo a II Feira Cultural, no município de Capim Grosso.
O evento é realizado através do Calendário das Artes, que é um artifício de incentivo a projetos artísticos e culturais de pequeno porte na Bahia, que objetiva estimular o desenvolvimento das artes nos Macroterritórios do estado, concedendo prêmios de até R$ 13 mil, priorizando propostas realizadas em benefício de populações com menor acesso a produtos culturais e que privilegiem a diversidade cultural, contemplando as mais diversas ideias de artistas, grupos e produtores, amadores ou profissionais.
 
 
A Feira será montada na Praça 09 de Maio, disponibilizando stands e palco, onde serão realizadas apresentações e oficinas artísticas durante os três dias.A programação que conta com Comidas Típicas, Teatro, Música, Artesanato, Dança, Fotografia, Vídeos, Samba de Roda e Livros, terá ainda, com apresentações de grupos regionais, que estarão animando os visitantes presentes, durante a noite, como Kelvin Diniz, Maryzelia e Os Coisinhos, Trio Jacobina e Forró Gruda Neu.
 
Como apoiadores do projeto, se tem Calendário das Artes, Fundação Cultural, Governo do Estado da Bahia, Prefeitura Municipal de Capim Grosso, Aec-Tea Associação Cultural, Contorno FM  e diversos artistas regionais, que irão se apresentar voluntariamente.

Vereadores debateram sobre saúde, limpeza pública e água doce

Nessa ultima terça feira (27), em mais um sessão legislativa os Vereadores de Capim Grosso, garantiram o trabalho que essa nova formação vem apresentando.
O primeiro a se pronunciar foi o edil Antonio de Braz, demonstrando o requerimento que implantado evitará que sacolas plásticas se espalhem pelas imediações do deposito de lixo de Capim Grosso, além disso, lembrou das vistas em locais de poços artesianos para perfuração, recuperação e relocação. Informou sobre a chegada de engenheiros que analisaram a construção do canal que levará a sobra da água da barragem de Pedras Altas para o açude do Rio do Peixe.
 
 
Arivelton Mota parabenizou a Prefeitura pela limpeza do açude de Caiçara, indicando que em pontos críticos foram retirados cerca de 2,80 metros de lama, acumuladas há tempos. Informou que donos de tanques precisam entrar em contato com a Secretaria de Agricultura para efetuar a limpeza. A reclamação ficou por conta de lixo entulho espalhados na cidade e o parlamentar cobrou mais fiscalização da Prefeitura em relação a empresa DMS, além de melhorias para o Bairro Jardim Araujo.
Vanderlei Queiroz reclamou da limpeza pública e que se a empresa não da conta que se retire, denunciou que os funcionários contratados pela DMS recebem apenas meio salário. Reclamou da iluminação pública , onde vem a cobrança e não esta de qualidade. Pediu construção da Praça Pau Brasil, no Planalto, além, do calçamento na Travessa Portugal, no Bairro Vicente Ferreira. E seguida falou da transposição da água da barragem para o Rio do Peixe.
Bruno Victor anunciou o inicio de cirurgias no Hospital Capim Grosso. Comentou que a Prefeitura contratou uma pessoa para o Raio X e a chegada de mais um médico e uma enfermeira . Pediu ao Secretario de Transporte Edezio Nascimento um carro para coleta de “pessoas especiais” . Convidou a todos para a “Ação Global” próximo dia 30 na comunidade dos 7 porcos. Denunciou que alguns motaxistas desrespeitam o trânsito. Pediu a empresa DMS que preste atenção em relação a capina e o lixo, pois a fala dos colegas tem fundamento.
 
Frank Neto falou sobre a chegada de uma equipe da UNIVASF em Capim Grosso, para agendar a topografia do Centro de Esportes, orçado no valor de 2 milhões de reais. Comentou que está também participando na busca da construção do canal que liga a Barragem de Pedras Altas ao açude do Rio do Peixe. Informou que o prazo para inicio da construção das 50 casas populares que Capim Grosso recebeu é de 30 dias. Pediu a limpeza dos entulhos na Praça Gabriel Francisco.
Vado Verdes Mares informou que também esteve em Pedras Altas junto com a equipe para tratar sobre a transposição de água para o açude do Rio do Peixe. Reclamou que no centro da cidade, comerciantes estão colocando material nas calçadas e as construções não estão acompanhando o alinhamento do meio fio.
Gilberto Alves, falou da situação que se encontra a Rua Antonio Rodrigues, no sentido de calçamento em péssimas condições. Agradeceu à Secretária de Obras e Urbanismo, pela colocação de lâmpadas, melhorando a iluminação. Pediu que coloquem um trabalhador para realizar o serviço de capina nos povoados de Peixe e Melancias.
Professor Ney pediu a divulgação de um calendário de obras para a população acompanhar. Informou que o Secretario da SEDUR, Cicero Monteiro, ordenou 500 mil reais em calçamento, então indicou as ruas da Borracha , Caiçara, São Francisco e Travessa Formosa. Sobre os acidentes da pista Bicicross falou que o espaço ainda não esta e que acidentes acontecem em qualquer esporte e quem pratica tem o dever de se precaver, e se é uma criança o pai deve ficar atento. Desejou boa sorte ao Secretario de Assistência Social Daniel Novaes.
 
Samoel Moto Taxi esteve em visita em colégios, presenciando uma cena em que a água estava salobra e quente, reclamou que prefeitura pode substituir. Informou ter levado um jovem com o braço machucado na UPA, mas voltou pra casa por falta de Raio X. Disse faltar letreiros nas escolas das comunidades, e recebeu denuncia que um dia na semana, foi servido beiju seco e outro dia voador , como merenda. Cobrou que a prefeitura construa obras com recursos próprios e a fiscalização da coleta de lixo. Sobre o bicicross, os pais precisarão assinar um termo de responsabilidade e que comecem acompanhar os filhos, e que ali foi feito pensando na juventude.
Hildete Carvalho também lembrou que os reservatórios de água, serão todos limpos, e que o maquinário próprio ajudará. Disse que não irá mais se candidatar, porém ficará com saudades dessa administração. Informou da chegado do profissional capacitado para o Raio X, e médicos para a UPA. Disse que no hospital já se fazem cirurgia, marcada na Secretaria de Saúde e encaminhada ao HCG.
O Presidente da Casa, Manoel Fernandes em uma intervenção, disse que a cidade realmente esta muito suja, e muitas empresas jogam lixo na rua. O dever Falou que o dever Vereador é legislar e fiscalizar e que vai ser mantida a união na Câmara, procurando o bem pela cidade. Manoel exibiu um livro da Constituição Federal.
Texto e fotos do jornalista: Herick Rios. 

Ei, tem alguém aí para me escutar? O Rio Itapicuru Mirim está morrendo!

A seca que atingiu cerca de 250 municípios na Bahia deixando marcas profundas na natureza, na vida das pessoas e dos animais, continua deixando marcas profundas em nossa região. Para que você entenda do que estamos falando será preciso trilhar algumas linhas, as quais no levarão ao distrito de Pedras Altas do Mirim, que trabalha o seu processo de emancipação política. A localidade que entrou para o rol dos 20 distritos que poderão passar a ser cidade na Bahia, tem pela frente alguns desafios nesse processo, primeiro registrar em seu território a ser oficializado pela Comissão Territorial da Bahia, a quantidade de aproximadamente 9 mil pessoas. Há quem confirme que passará disso, há também aqueles que não acreditam nessa possibilidade.
 
 
Mas enquanto esse momento de oficialização não chega, Pedras Altas do Mirim, integrante do território de Capim Grosso, tem pela frente mais uma batalha para ser solucionada, a do Rio Itapicuru Mirim, que registra um dos momentos mais críticos da sua história. A falta de chuva na região, o fechamento das comportas da barragem, que passou a ser responsável pelo abastecimento da adutora do sisal, com aproximadamente 200 mil pessoas abrindo a torneira todos os dias, a situação do rio é vista como um dos grandes problemas ambientais da região na atualidade, mesmo porque além da falta de água, o rio está sendo atingido por esgotos provenientes de Pedras Altas, tudo por conta da falta de uma estação de tratamento adequada para evitar danos à população e à natureza.
Como as comportas não serão abertas para alimentar o rio e com isso devolver a esperança de dias melhores às comunidades ribeirinhas formadas entre o distrito de Pedras Altas  e o município de Queimadas, numa extensão de 60 km, com uma população estimada de 10 mil pessoas, é chegado o momento de pensar na revitalização do rio, para quando a água for liberada das comportas do céu ou da barragem, poder receber um maior volume do líquido que gera vida por onde escorre e com isso poder saciar a sede de muita gente, incluindo animais e plantas.
 
De acordo com relatos, há trecho do rio que a lama está exalando um odor muito forte, o que vem prejudicando ainda mais a vida das pessoas e dos animais. Na região do balneário, um dos pontos turísticos de maior badalação na região, a situação não é diferente. Onde a água cristalina refrescava a vida de muita gente, hoje é uma deslocação só. Tudo secando, se esvaindo, morrendo mesmo. Um cenário que deixa o coração de quem representa Pedras Altas sagrando.
Diante do exposto só resta agora convidar os Shapolins Colorados de plantões para ajudar nessa tarefa emergencial de salvar o Rio Itapicuru Mirim, uma das mais importantes reservas ambientais da região.  Pelo que vejo, os nossos “políticos” estão ocupados com outros afazeres, pensando mesmo é na eleição de 2014, naquele nome que será o mais capaz para vencer o processo eleitoral e com isso continuar nadando nas correntes do poder, cercada de grandiosos projetos, discursos mirabolantes, regalias, mesas fartas, contas todas pagas pelo povo. Diferente daqueles que vive embaixo do sol forte, buscando no que restou da seca, um pouco de água e comida para o gado que muge de sede e fome, é aquele irmão lá das comunidades ribeirinhas que há mais de três meses não tem água no leito do seu Rio Itapicuru Mirim, Rio que deixou de correr, de regar a vida, de semear esperança, de alimentar a mesa do feijão com farinha e carne.
 
O meu Rio está morrendo amigo! Tem alguém aí para me ajudar?
Texto: Arnaldo Silva/Fotos: Valdick de Pedras Altas.
 

Pagina 1 de 2